quarta-feira, 26 de junho de 2013

No, I'm not going to the world cup/Não, eu não vou à Copa do Mundo


Olá, calorosos fãs! Estamos aí, Copa das Confederações e tudo mais, ano que vem a Copa do Mundo e 2016 as Olimpíadas. Mas o que realmente isso significa? É uma vitória do país? Ou é apenas mais uma gracinha para inglês ver?

Semana passada explodiram os protestos, inicialmente por causa do aumento das passagens de ônibus, o que foi seguido pela repressão policial e que evoluiu para outro patamar, onde as pessoas parecem finalmente começar a perceber que nós, como população, como povo, temos poder sim, e não é pouco.
  
Depredação e vandalismo: o que acontece? Talvez pela primeira vez, ou talvez não a primeira, mas com maior foco, a mídia finalmente começa a mostrar que as pessoas que saem a fim de fazer algazarra não são as mesmas pessoas que saem para exigir seus direitos. Mas o buraco é mais embaixo.

Os indivíduos do quebra-quebra são aqueles mesmos que saem à noite, bebem e dirigem bêbados. São os mesmos que vão para festas a fim de caçar encrenca, provocar e brigar quem sai para se divertir. E os mesmos que vão a jogos de futebol para espancar torcedores do time adversário. Também são os mesmos que espancam mendigos e homossexuais nas ruas.

E esses indivíduos são resultado de um sistema que há muito vem sendo falho. Consequência de um país em que a educação é sucateada, subestimada, consequência de uma cultura do tudo posso, onde as notas baixas de um aluno são culpa do professor, e não do estudante. De um pensamento onde tudo deve ser conseguido no grito e na baixaria.


Isso é consequência de viver no país do carnaval e do futebol, onde basicamente esses dois tópicos merecem mais atenção do que a principal necessidade básica de um povo: educação. Percebam que não incluí saúde e segurança ou até mesmo cultura entre essas necessidades básicas. Porque eu acredito que um país com educação exemplar será um país que precisará também de menos medidas de segurança e de saúde. Uma educação exemplar resultará automaticamente em indivíduos mais interessados por sua própria cultura.

Se você recebe uma educação digna, por consequência será uma pessoa que tem maior capacidade de pensar e tomar decisões benéficas em sua vantagem e em vantagem dos outros. Vai aprender a se alimentar melhor, a comer menos fast food e mais frutas - o que diga-se de passagem, também é bem mais barato -, não vai fumar, não vai beber - ou pelo menos, vai beber menos. Você vai ter menos problemas de saúde. Você vai ser uma pessoa com menos possibilidade de debandar pro mundo do crime.

É claro que investimento em segurança e saúde são necessários, e sempre serão. Pois independente da raiz, algumas doenças simplesmente acontecem, independente do seu modo de vida. E algumas pessoas tem índole ruim, independente da educação que recebam. Mas uma educação de qualidade tem o poder de mudar o mundo.


E num buraco ainda mais embaixo, temos o motivo pelo qual não há interesse dessa revolução: qual é o interesse de um país onde os níveis de corrupção são uns dos mais altos no mundo, de criar um povo pensante e consciente de seu poder como indivíduo? Nenhum. Zero. Porque para nossos governantes, é muito mais vantajoso manter uma cambada de asnos que só se importa com o resultado do próximo jogo, e que escolhe em quem votar recolhendo um santinho no chão no dia da eleição.

Para eles, isso é bom.

E é esse povo que paga um preço exorbitante para assistir um jogo do Brasil na Copa das Confederações, mas quando chega lá vaia a presidente Dilma. Ela não tá se importando com sua vaia, colega. Ela já levou sua grana.

Carla Dauden, essa linda, fez um vídeo que conseguiu com clareza expressar tudo o que eu penso sobre todo esse circo que é nossa Copa do Mundo, das Confederações, e nossas Olimpíadas. Sem mais, fiquem na companhia dela aí (recomendo alterar a resolução do vídeo para pelo menos 360p para melhor visualização das legendas, a não ser que você entenda inglês perfeitamente. Você pode fazer isso seguindo as instruções da imagem abaixo):


2 comentários:

  1. Ju, amei a postagem e você já imagina que seja por concordar com tudo o que você escreveu. Está certa, então!!
    Imagine, Ju: tudo o que um dia sonhávamos deve estar prestes a acontecer. Tomara que não seja um sonho.
    Eu estou emocionada por estar participando disso tudo e - quem sabe - escrevendo uma nova história para esse país.
    Esse vídeo postado realmente ficou perfeito e podemos saber que com essa era da informação, o mundo todo participa conosco.

    Sucesso para nós, então, querida!!
    Um beijão

    ResponderExcluir
  2. Assisti o vídeo dessa menina é realmente muito bom, ela falou muito coisa que a grande mídia não mostra.
    O seu texto ficou muito bom.
    Bj
    kawaii-and-macabre.blogspot.com

    ResponderExcluir

Todos os comentários estão sujeitos à aprovação, conteúdos com linguagem vulgar não serão tolerados. Comente! Participe!